Casamento na comunidade cigana, no concelho de Moura, gera polémica nas redes sociais
Publicado | 2020-08-29 11:48:46
 
A página de Facebook do Partido “CHEGA – Moura” deu a conhecer a realização de um casamento na comunidade cigana em Moura, na freguesia de Póvoa de São Miguel, onde alegadamente estavam presentes cerca de 300 pessoas, segundo a informação.
 

Nesta mesma divulgação o partido “CHEGA” acusa a Câmara Municipal de Moura e a Junta de Freguesia de Póvoa de São Miguel de consentir o evento salientando que “Enquanto a câmara de Moura continua a mandar notificações pela GNR, para que sejam pago os valores em dívida pela comunidade cigana, começou ontem um casamento na Póvoa de São Miguel, com mais de 300 pessoas. Numa freguesia que foi bastante afectada pelo Covid 19, onde muita gente ainda tem medo de sair de casa e onde a comunidade cigana se mistura com os residentes, parece-nos que não é normal…” O post do CHEGA no Facebook acrescenta ainda que “Mais grave, os terrenos são da junta de freguesia e também autorizou a cerimónia...”.

A acusação feita pelo partido CHEGA levou a uma reacção do presidente da Câmara Municipal de Moura, Álvaro Azedo, na sua página pessoal de Facebook.

“A Câmara não vai responder a partidos sem rosto no concelho, que apenas debitam meias verdades, e que alimentam ódios através das redes sociais. Não se conhece um dirigente local, ou regional, que interpele o presidente da Câmara. São sinais dos tempos...” Diz Álvaro Azedo.

O autarca de Moura apresenta ainda alguns factos relativamente a esta matéria:

“1. No tocante ao apoio às compras de bens alimentares e farmácia às famílias confinadas, a Câmara Municipal de Moura apoiou 21 famílias de etnia cigana. Dessas, apenas 5 se encontram por liquidar as suas despesas, e certamente que o farão. A GNR tem apoiado a Câmara no sentido de notificar as famílias que ainda não regularizaram a sua situação?  Certamente que sim, e isso é revelador do nosso nível de exigência quanto a esta matéria. Foram apoiadas cerca de 15 famílias não ciganas, e também há pequenas situações por regularizar.  Quanto a esta matéria, estamos conversados. Todas as pessoas têm vindo a regularizar as situações, e não me parece decente que tal facto mereça que se alimentem ódios;

2. No que diz respeito ao casamento de Póvoa de São Miguel,  os responsáveis do Destacamento de Moura da G.N.R.; PSP;  e restantes membros do Centro Coordenador de Proteção Civil  (que reúne todos os dias pela manhã) sabem perfeitamente que o Serviço Municipal de Proteção Civil de Moura se manifestou contra a realização de tal festa. E, no expediente efetuado pela GNR e que seguiu para o Ministério Público, encontra-se,  inclusivé,  um parecer solicitado pelo SMPC à Autoridade de Saúde Pública.”

No post divulgado, na sua conta pessoal de Facebook, o presidente da Câmara Municipal de Moura refere ainda que “embora estivesse em serviço na Herdade da Contenda durante a tarde de ontem,  falei várias vezes com o oficial da GNR no  comando do Destacamento, solicitando intervenção para que o ajuntamento fosse terminado com a maior celeridade possível. Igual pedido formulei ao senhor Presidente da Junta de Freguesia.”  

 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
25 25
16 15
 
 
 
 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda