Mourense interpõe Providência Cautelar à Festa do Avante
Publicado | 2020-08-26 19:18:42
 
O mourense Carlos Valente, entregou no tribunal do Seixal, uma providência cautelar para tentar travar a Festa do Avante, marcada para os dias 4, 5 e 6 de Setembro.
 
A Planície tentou contactar Carlos Valente, estando o engenheiro incontactável, no entanto apurámos junto de fonte próxima, que a única motivação para a entrega da Providência Cautelar deve-se exclusivamente a uma questão de saúde pública, sem qualquer intuito politico.
Esta é uma acção urgente, pelo que o juiz terá de ouvir a organização da Festa e decidir se aceita ou não a providência. Se for aceite, a Festa do Avante poderá ser suspensa, ainda que os comunistas tenham a possibilidade de impugnar uma decisão dessa natureza. O tribunal do Seixal, entretanto, decidiu que deve ser um tribunal de Lisboa a analisar a providência cautelar contra a realização da Festa do Avante.

 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
25 25
16 15
 
 
 
 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda