43% dos encarregados de educação mostram preferência pelo regresso às aulas presencial
Publicado | 2020-08-25 19:29:11
 
Com as aulas prestes a começar e com mudanças nos períodos de férias, metade dos encarregados de educação estão satisfeitos com o calendário escolar do novo ano lectivo.
 
Ainda que o desenvolvimento da crise sanitária seja desconhecido e o novo ano tenha desafios acrescidos, segundo o Observador Cetelen,  43% dos encarregados concordam que o regresso às aulas, marcado para o início de Setembro, deve ser feito de forma presencial. Já 28% preferiam um sistema misto - com aulas presenciais e à distância. Os restantes defendem um formato não presencial, através de aulas online e com recurso à telescola (27% para cada).

O novo ano lectivo representa também alterações na lista de condições nas escolas. 42% consideram que estão reunidas as condições necessárias para o regresso às aulas presenciais, enquanto 35% tem a opinião contrária.

89% dos encarregados concordam que são precisas turmas mais pequenas. 65% dos portugueses inquiridos reforçam ainda serem essenciais a necessidade de equipamentos de protecção individual (como álcool gel e máscaras); a utilização de espaços alternativos maiores (61%); e horários desfasados entre turmas (41%).
 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
27 24
13 12
 
 
 
 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda