Julho mais quente dos últimos 90 anos provoca seca no País
Publicado | 2020-08-19 16:12:48
 
Segundo informação do Instituto português do Mar e da Atmosfera, (IPMA), depois de o primeiro semestre de 2020 ser o 4º mais quente desde 1931, o mês de Julho trouxe um novo recorde, o mês mais quente dos últimos 89 anos.
 
O IPMA refere  que “este mês extremamente quente, e seco (apenas choveu em três dias), contribuiu para que o período de Janeiro a Julho de 2020 fosse o mais quente dos últimos 90 anos”. A seca, ainda que “fraca”, está de volta a 71,4% do território português (litoral do distrito de Viana do Castelo, interior Norte-Centro, região de Lisboa e Vale do Tejo e grande parte da região Sul). Já a seca moderada afecta 19,9% do país (Baixo Alentejo — distritos de Setúbal e Beja — e Algarve) e a seca severa apenas 0,3% (Alvalade e Mértola, no Alentejo).

De acordo com o Índice Meteorológico de Seca (PDSI), calculado pelo IPMA, no final de Julho verificou-se um “aumento da área em seca em todo o território” e uma “diminuição significativa dos valores de percentagem de água no solo”. Na região Nordeste, vale do Tejo, Baixo Alentejo e Algarve estes valores são mesmo inferiores a 20%.
 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
27 24
13 12
 
 
 
 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda