Medidas para controlar praga de lagostins nas águas do Guadiana
Publicado | 2020-08-10 04:44:56
 
O deputado do PCP eleito por Beja questionou o Governo sobre a interdição da pesca profissional ao Lagostim Vermelho que é considerado uma praga.
 

João Dias em declarações à Planície referiu que “estamos a falar do lagostim que de maneira geral a população conhece, que está presente nas principais bacias hidrográficas do País, sendo a mais afectada a do Guadiana e do Sado”.

“O lagostim vermelho que se encontra com muita facilidade nos ribeiros, nos riachos e até nas barragens, o que está a provocar muitos danos, desde logo na fauna e flora com alteração dos ecossistemas, até mesmo de habitats de outras espécies autóctones, desde rãs a outros animais”. Sublinhou o deputado.

“Por outro lado, também estão a provocar destruição de algumas barragens, de equipamentos de rega, existindo mesmo queixas da EDIA, relativamente à barragem de Alqueva”. Acrescentado.

João Dias explica que investigadores e o ICNF reconhecem que a única forma de controlar as populações deste tipo de lagostim é através da pesca profissional. “É uma actividade benéfica para minimizar os prejuízos provocados por esta espécie invasora” e o levantamento desta proibição traria aos pescadores “alguma viabilidade económica”, através da exportação do lagostim para Espanha e para os países do norte da Europa.

O parlamentar diz ainda que o “PCP solicitou ao Governo esclarecimentos relativamente às condições do exercício da pesca deste lagostim nas águas interiores, pedindo à tutela que tome medidas sobre esta matéria, integrando os pescadores profissionais num Plano Nacional de Estabilização do Lagostim Vermelho da Louisiana”.

 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
27 24
13 12
 
 
 
 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda