Apresentada hoje app para telemóvel direccionada a produtores de queijo
Publicado | 2020-08-04 04:03:56
 
Com o objectivo de ajudar a melhorar a qualidade dos queijos DOP, e a criar maior valor agregado no produto final, valorizando um produto artesanal com profundas raízes históricas, parte integrante do património alentejano, um grupo de investigadores nacionais, liderados pelo Instituto Politécnico de Beja,
 

e provenientes das instituições parceiras Instituto Politécnico de Portalegre, Instituto Politécnico de Setúbal, FCT – Universidade Nova de Lisboa e CEBAL – Centro de Biotecnologia Agrícola e Agro-Alimentar do Alentejo, desenvolveram durante dois anos o projecto “CFD4CHEESE – Aplicação da mecânica dos fluídos computacional na optimização das condições de cura de queijos tradicionais”.

O trabalho  culminou no desenvolvimento de uma nova câmara de cura de queijo artesanal e de uma aplicação para telemóvel com informação sobre a viabilidade económico-financeira, de apoio aos produtores na decisão do investimento para a nova tecnologia.  

O Investigador responsável do projecto, João Dias, referiu à Planície que o mesmo “iniciou-se em 2018, envolvendo 5 instituições de ensino superior, um Centro de investigação nacional e o CEBAL. Ao longo deste tempo fizemos um vasto trabalho no terreno, na identificação das queijarias, especialmente na parte tecnológica para tentar saber qual era o ponto da situação ao nível da tecnologia empregue nas condições de cura.”

Este projecto vai ser apresentado hoje, às 10h através da plataforma Zoom e com transmissão em directo na página de Facebook do CFD4CHEESE.

 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
25 25
16 15
 
 
 
 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda