Covid-19 - Universidade de Évora investiga alterações sensoriais
Publicado | 2020-07-23 04:05:57
 
A Universidade de Évora (UÉ) está a realizar um estudo, em pacientes de Covid-19 recuperados, com o objectivo de conhecer melhor os sintomas da doença, nomeadamente no que respeita a alterações na percepção sensorial e na capacidade de deglutição e ingestão.
 

A investigadora do Instituto Mediterrâneo para a Agricultura, Ambiente e Desenvolvimento, (MED), da UÉ e também co-autora do estudo, Elsa Lamy, referiu à Planície que “iniciamos este trabalho, primeiro porque a área em que trabalhamos tem mais a ver com a parte sensorial e iniciou-se com a vinda do Brasil  da investigadora  Alessandra Machado  actualmente em pós-doutoramento na Universidade de Évora”. Acrescentando que “Estamos a avaliar nestes pacientes de que forma é que estas capacidades de percepção sensorial e de deglutição dos alimentos podiam estar afectadas por causa da doença”.

“Há vários trabalhos que indicam que o paladar e o olfacto é perdido, mas também o tratamento com ventiladores pode afectar toda a produção salivar e a deglutição”. Adiantou a investigadora.

O estudo está a ser realizado através de um inquérito disponibilizado online, a ser respondido por adultos residentes em Portugal que tenham recuperado de Covid-19. Para além dos seus mais diversos sintomas considerados característicos, como febre, tosse, dor no corpo, cansaço, dor de cabeça e tantos outros, o inquérito inclui questões acerca dos possíveis sinais e sintomas relacionados com a alimentação, designadamente dificuldades em sentir gostos e cheiros, engasgos e sensação de boca seca.

 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
20 19
13 11
 
 
 
 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda