Covid-19 - ARS do Alentejo não esclarece o SEP em relação ao lar de idosos de Reguengos
Publicado | 2020-07-14 05:02:23
 
Em nota de imprensa a Direcção Regional do Alentejo do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses -SEP- acusa a ARS do Alentejo de não responder ao pedido de esclarecimento em relação à situação do surto de Covid-19 do Lar de Idosos da Fundação Maria Inácia Vogado Perdigão Silva, em Reguengos de Monsaraz.
 

“As instituições privadas, vulgarmente chamadas de “Lares”, têm de ter no seu Mapa de Pessoal o número de enfermeiros adequado para o seu funcionamento, incluindo para situações mais complexas, como é o caso da Pandemia.

Serem deslocados enfermeiros do Serviço Nacional de Saúde para Reguengos de Monsaraz não se pode prolongar no tempo, pois não é a solução que estas instituições precisam. A solução é contratarem pessoal! O ano lectivo chegou ao fim é há muitas dezenas de enfermeiros recém-licenciados das Escolas Superiores de Saúde/Enfermagem da Região.” Afirma o sindicato.

O SEP salientou que “no dia 6 de Julho solicitou um esclarecimento urgente à ARS do Alentejo sobre:

1. Foi dada formação aos enfermeiros deslocados para a utilização de Equipamentos de Protecção Individual?

2. Está garantida a cobertura do seguro aos profissionais?

3. O Lar de Idosos da FMIVSP tinha Plano de Contingência? Se sim solicitamos cópia do mesmo; se não tinha, a ARS vai responsabilizar a FMIVSP?

4. Até quando se prevê a deslocação de enfermeiros para Reguengos de Monsaraz?”

Dizendo que “incompreensivelmente” a ARS do Alentejo “não responde ao pedido de esclarecimento urgente” do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses.

 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
27 31
16 14
 
 
 
 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda