Municípios do Baixo Alentejo reuniram com o Secretário de Estado Adjunto e da Defesa Nacional
Publicado | 2020-07-06 12:12:10
 
Na passada sexta-feira, dia 3 de Julho, os municípios do Baixo-Alentejo reuniram-se, por teleconferência, com o Secretário de Estado Adjunto e da Defesa Nacional, Jorge Seguro Sanches. O objectivo principal foi o ponto de situação sobre a pandemia Covid-19 na região.
 

Na reunião, estiveram também presentes a Presidente e o Vogal do Conselho de Administração da ULSBA e o Director Distrital de Beja da Segurança Social.

Segundo comunicado da CIMBAL, considerando o momento actual, “foi reforçado por parte dos intervenientes a necessidade de manter todas as medidas de protecção indicadas pelos organismos oficiais, designadamente as respeitantes às Estruturas Residenciais para Idosos”.

Foram ainda abordadas as consequências que a pandemia produz na economia do Baixo Alentejo e medidas mitigadoras.

Em declarações à Planície, Jorge Rosa, presidente da CIMBAL, salientou que “a marcação da reunião foi pedida pelo Secretário de estado para fazer o ponto da situação do Baixo Alentejo na área de intervenção da CIMBAL, e fazer um alerta dos cuidados que todos devemos ter, sobretudo, aqueles grupos de maiores riscos nomeadamente os idosos, utentes de lares e IPSS”.

O responsável da CIMBAL referiu ainda que “estas instituições devem estar no nível prioritário dos nossos cuidados. O Secretário de Estado passou o alerta e a sua mensagem, dando como exemplo Reguengos de Monsaraz, que fez com que o Alentejo, que era a região com menos casos de contaminação de Covid-19, aumenta-se e passa-se a ser uma das regiões que repentinamente aumentou os números de infectados".

Na mesma reunião o Presidente da autarquia de Barrancos questionou o Secretário de Estado sobre a forma como decorreu o processo de reabertura da fronteira Barrancos/Encinasola. O governante informou que “nunca sentiu disponibilidade por parte das autoridades espanholas para uma abertura similar à de Mourão. E, considerando a necessidade de existir esse entendimento comum, de ambos os países, só agora foi possível proceder à sua reabertura, não obstante todas as diligências efectuadas pelo Município de Barrancos”.

 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
20 19
13 11
 
 
 
 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda