SEP acusa o Lar de Reguengos de não ter número necessário de enfermeiros
Publicado | 2020-07-06 04:21:59
 
A Direcção Regional do Alentejo do Sindicato dos Enfermeiros Portugueses, (SEP), emitiu uma nota de imprensa sobre o facto de o Lar de Reguengos de Monsaraz, onde nos últimos dias tem estado activo um surto de Covid 19, não ter no seu mapa de pessoal o número necessário de enfermeiros.
 

Celso Silva, da Direcção do SEP em declarações à Planície referiu “o que está em causa em Reguengos de Monsaraz, é o Lar pertencer a uma fundação da localidade e têm que ter o número de enfermeiros no seu mapa de pessoal, para responder às necessidades que ocorrem. “E acrescenta que em “contexto de pandemia, naturalmente que nenhum utente, deve ficar sem cuidados de saúde, sem cuidados de enfermagem. O que nós salientamos e chamamos à atenção é que o Lar, pertence à Fundação e a mesma deve contratar directamente o número de enfermeiros que necessita para responder áquilo que são as necessidades de saúde dos seus utentes.”

Para o SEP “as instituições privadas, vulgarmente chamadas de Lares, que têm utentes à sua responsabilidade, têm de contratar enfermeiros e garantir condições de trabalho dignas, nomeadamente com vínculos definitivos e não precários, e, com salários ajustados às qualificações dos enfermeiros”. E acrescentam que a “Fundação Maria Inácia Vogado Perdigão Silva e restantes instituições estavam legalmente obrigadas, no âmbito desta Pandemia, a terem Planos de Contingência, e, esses Planos de Contingência devem enquadrar medidas sobre Recursos Humanos para eventuais situações de agudização das necessidades de resposta que exijam mais profissionais como a que se está a verificar”.

 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
34 36
14 15
 
 
 
 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda