Barrancos exige uma abertura de fronteira igual a Mourão
Publicado | 2020-06-17 04:11:50
 
A Assembleia Municipal de Barrancos decidiu por unanimidade, na última reunião realizada no passado dia 5 de Junho, tomar uma posição sobre a abertura da fronteira com Encinasola.
 

O Presidente da Assembleia Municipal de Barrancos, Nelson Berjano, em declarações à Planície, referiu que “a posição da Assembleia é um culminar de várias situações e decidimos tomar uma posição sobre elas. Com a questão da pandemia o Governo decidiu, por motivos de saúde pública reintroduzir temporariamente o controlo de pessoas nas fronteiras internas, no caso concreto Barrancos /Encinasola. Compreendemos esta decisão, mas comunicámos os constrangimentos que esta decisão trazia para os trabalhadores transfronteiriços e empresários de Barrancos que para irem trabalhar tinham que fazer quase 300kms.”

Nelson Berjano acrescentou ainda que “a nova realidade justificava a implementação imediata de soluções alternativas. Para cúmulo dos cúmulos, foi-nos dada uma alternativa, decidiu-se abrir a fronteira duas vezes por semana, o que não resolve minimamente, até entendemos que é quase uma afronta. Os trabalhadores não trabalham só duas vezes por semana, os empresários não exercem as suas actividades dois dias por semana. Foi dada essa alteração que em nada resolve a situação.”

 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
27 27
14 14
 
 
 
 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda