Fronteira de Barrancos volta a estar em “cima da mesa” pelo PCP
Publicado | 2020-06-15 04:25:57
 
O Grupo parlamentar do PCP, questionou mais uma vez, o Governo, sobre a autorização de passagem na fronteira de Barrancos. Segundo um comunicado dos parlamentares comunistas, até á data de hoje, não obtiveram qualquer resposta às três questões que já tinham colocado.
 

João Dias em declarações à Planície afirma que “o Governo persiste em dar um tratamento desigual para com Barrancos.” Adiantando que “Nós conhecemos bem a realidade da vila, trata-se de um concelho isolado e com dificuldades de acesso, tendo ainda uma dinâmica económica bastante difícil.”

Para o deputado a relação com Espanha “é fundamental e decisiva” para que esta comunidade consiga manter o seu desenvolvimento e económico e social.

 “O PCP já questionou o Ministério da Administração Interna para esse desse tratamento igual para com outras fronteiras de igual dimensão à semelhança da de Mourão.” Refere João Dias.

Recordamos que a fronteira de Mourão tem dois períodos de abertura diários, enquanto que a de Barrancos o ponto de passagem autorizado através da fronteira terrestre entre os dois países é às segundas-feiras e quintas-feiras, também com dois horários.

Sobre este despacho que entrou em vigor no passado dia 1 deste mês em que estipula a passagem na fronteira dois dias por semana, o PCP, refere tratar-se de uma medida que “não dá resposta às necessidades existentes, nem resolve os problemas dos trabalhadores transfronteiriços que trabalham todos os dias, bem como dos agentes económicos com actividades nos dois lados.”

Assim, os comunistas entendem que “impõe-se uma outra atitude do Governo de respeito pelos trabalhadores e pela população de Barrancos.”

Os parlamentares do PCP perguntaram ao Governo se está disponível para rever o despacho e considerar a abertura da fronteira de Barrancos diariamente, e ainda que medidas vai tomar para compensar e responder aos problemas económicos e sociais associados ao encerramento da fronteira.

 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
20 19
13 11
 
 
 
 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda