Diamantina Escoval faz balanço dos anos como presidente da CPCJ de Moura
Publicado | 2020-05-31 13:18:32
 
A CPCJ – Comissão de Protecção de Crianças e Jovens de Moura, elegeu no passado dia 26 deste mês, um novo responsável para o cargo da presidência. Diamantina Escoval, não se pode recandidatar ao mesmo, devido ao número de anos em exercício na comissão, não podendo completar um novo mandato, tendo o cargo de presidente passado para Marisa Moita Ferreira.
 

A Presidente cessante da CPCJ de Moura, fez o balanço à Planície, da sua prestação nesta comissão ao longo do percurso na mesma, sublinhando que ao terminar o mandato e não podendo recandidatar -se, por o não poder cumprir na sua totalidade, “deixo as funções com o sentimento do dever cumprido e ter atingido os objectivos a que me propus e com a equipa que sempre me acompanhou.”

Diamantina Escoval refere que “desde a primeira hora, honrei sempre o bom nome da CPCJ de Moura e defendi em primeiro lugar a defesa dos direitos e protecção das crianças e jovens deste concelho.”

Quando integrou a comissão, esta tinha “um número assustador de crianças sinalizadas, urgia fazer um trabalho mais profundo de prevenção, divulgação e informação da actuação da CPCJ que, de uma forma intensiva, foi realizado com todas as entidades com competência e responsabilidades e matéria e infância e juventude do nosso concelho e os resultados começaram a aparecer. De 228 processos trabalhados no ano de 2016, passámos aos dados recolhidos no dia 25/05/2020 a 49 processos trabalhados e com 36 activos,” acrescentou.

Diamantina Escoval  sublinha que isto deve-se ao “trabalho de uma equipa”, pelo que agradece a todos os colegas que com ela fizeram esta caminhada”, afirmando que sai com o sentimento de dever cumprido e que mais nem fez,” porque o mesmo não foi possível, há constrangimentos que por vezes vêm do exterior, que nos dificultam o nosso trabalho, com algumas entidades com redobrada responsabilidade teimam em não entender o que é a autonomia funcional de uma comissão, mas todos os constrangimentos foram sendo superados, pois quando temos a razão do nosso lado, tudo vai ao lugar.”

A presidente cessante disse ainda ser “com orgulho que entrega a CPCJ de Moura com apenas trinta e três processos activos e deseja que “o trabalho realizado, possa ter continuidade e que os direitos e protecção das crianças e jovens do nosso concelho estejam sempre à frente de todo e qualquer outro interesse, que não o da protecção e prevenção.”

Diamantina Escoval iniciou funções na CPCJ de Moura em 2009, como professora tutora e posteriormente como representante da educação, assumindo as funções de presidente em 2017.

 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
20 19
13 11
 
 
 
 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda