Centro de Meios Aéreos de Moura perdeu meio de ataque inicial a incêndios
Publicado | 2020-05-29 17:12:26
 
Devido às orientações emanadas pela Diretiva n.º2 - DECIR 2020, o Centro de Meios Aéreos de Moura perdeu o unico meio aéreo de ataque inicial de combate a incêndios rurais.
 
Neste sentido, a Câmara Municipal de Moura, conjuntamente com os Municípios de Barrancos, Mértola e Serpa, solicitou uma audiência, com carácter de urgência, ao Ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita.

Álvaro Azedo, Presidente da Câmara Municipal de Moura, considera que nos últimos anos a presença deste meio aéreo tem contribuído para a preservação da floresta e da paisagem agrícola dos municípios de Moura, Barrancos, Mértola e Serpa. O autarca considera que a região fica completamente desprotegida com a decisão tomada.

De acordo com uma nota da autarquia mourense foi enviada uma missiva ao Gabinete do Ministro da Administração Interna, onde os Presidentes dos quatro municípios "lamentam a ausência de diálogo no decorrer deste processo, que levou a uma tomada de decisão, que consideram, errada".

A Câmara Municipal de Moura recorda que realizou, em articulação com o CDOS e a EDIA, um conjunto de benfeitorias nas instalações do Centro de Meios Aéreos de Moura, sediado junto à Barragem de Alqueva.

Os Autarcas de Moura, Barrancos, Mértola e Serpa aguardam agora por uma resposta do Ministro da Administração Interna, para que, "em diálogo, se possa ultrapassar uma situação que representa enorme perigo para as populações e para o território".
 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
20 19
13 11
 
 
 
 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda