Baixo Alentejo vai ter corte nas verbas provenientes do «Alentejo 2020»
Publicado | 2015-07-17 04:12:16
 
O Conselho Intermunicipal da CIMBAL, considera que os objectivos da Estratégia de Desenvolvimento e do Pacto elaborados pela Comunidade Intermunicipal do Baixo Alentejo, serão profundamente afectados, devido sobretudo à redução dos valores atribuídos, no âmbito do Programa "Alentejo 2020", mas também pelo atraso do "Portugal 2020", que deveria ter arrancado em 2014 e ainda não avançou.
 
Recorde-se que o Pacto para o Desenvolvimento e Coesão Territorial do Baixo Alentejo, pretendia dar um contributo essencial para concretizar na região os objectivos de crescimento sustentável e inclusivo, preconizados pela Estratégia "Europa 2020" e acolhidos na Estratégia Integrada de Desenvolvimento Territorial da CIMBAL. Contudo as aspirações do Baixo Alentejo irão ficar muito aquém da sua vontade, na medida em que, de uma proposta de 36 milhões de euros, fundo a 85% de FEDER e FSE, apenas foi aprovado pelo Programa Operacional Regional do "Alentejo 2020" pouco mais de 26.800.000 euros. Acrescendo ainda a este montante, o valor aproximado de 3,5 milhões de euros, proveniente dos Programas Operacionais Temáticos.
Para que não se contribua para um maior atraso no arranque do Programa, o Conselho Intermunicipal da CIMBAL, deliberou aprovar os montantes propostos conducentes à assinatura do Pacto com a Comissão Directiva do “Alentejo 2020”, deixando no entanto a garantia de que tudo fará para alterar as regras de um jogo que prejudicam a actividade do Poder Local Democrático, neste território de Municípios de baixa densidade, considerando necessário investir junto das pessoas, considerando que caso contrário, será muito difícil estancar o despovoamento e empobrecimento do Alentejo.
 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
39 37
19 19
 
 

Nome:

Email:

 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda