Covid-19 - Estudo revela que um quarto dos inquiridos perdeu rendimentos desde o início do surto
Publicado | 2020-04-10 05:42:36
 
Um quarto dos 11.500 inquiridos num estudo sobre o impacto social da pandemia de covid-19, no final de março, já revelava ter sofrido impactos financeiros, sentidos com mais intensidade por quem já tinha dificuldades antes desta crise.
 

O impacto social da pandemia: Estudo revela que um quarto dos inquiridos perdeu rendimentos desde o início do surto

O inquérito, realizado entre 25 e 29 de março, para avaliar o impacto social da pandemia de covid-19, é da responsabilidade de quatro investigadores do Instituto de Ciências Sociais (ICS) da Universidade de Lisboa e do ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa.

Os seus autores reconhecem que o inquérito não tem representatividade em termos de grupos populacionais, não sendo representativo da população portuguesa, por exemplo, permitindo apenas relacionar variáveis presentes no estudo e a sua inter-relação.

A análise concentra-se também muito no discurso direto dos inquiridos, possível de analisar em respostas a perguntas abertas, em que os participantes foram chamados a dar opinião ou a relatar situações.

“Os efeitos económicos e sociais da pandemia são assimétricos e essa assimetria tenderá a aumentar ao longo do tempo. Pese embora os dados deste inquérito terem sido recolhidos ainda numa fase inicial da pandemia, logo depois de ter sido decretado o estado de emergência, os sinais do impacto diferenciado do ponto de vista dos rendimentos já eram visíveis entre os inquiridos (cerca de um quarto reconhece ter visto, entretanto, a sua situação financeira afetada)”, refere-se no estudo.

Na fase inicial da pandemia as pessoas em situação económica mais precária já eram as mais afetadas financeiramente, com situações que variam entre a perda parcial de rendimento, os que foram forçados a tirar férias e os que perderam o emprego, não se refletindo ainda no período do inquérito o efeito do recurso ao ‘lay-off’ (redução temporária dos períodos normais de trabalho ou suspensão dos contratos de trabalho efetuada por iniciativa das empresas, durante um determinado tempo) por muitas empresas.

Lusa

 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
29 30
13 12
 
 
 
 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda