Covid-19 - Cancelamento do Congresso AMAlentejo, congresso das Açordas em Portel e risco da não realização da Ovibeja e Feira de Maio em Moura
Publicado | 2020-03-10 12:54:32
 
O Governo português recomendou a suspensão de eventos em espaços abertos com mais de 5 mil pessoas e em espaços fechados com mais de mil, em linha com as orientações que têm vindo a ser tomadas na generalidade países da União Europeia.
 

A recomendação foi feita após a reunião da Comissão Nacional de Proteção Civil, em Carnaxide, na qual participaram os ministros da Administração Interna e da Saúde, Eduardo Cabrita e Marta Temido.

Sobre as restrições de eventos a Ministra referiu que as mesmas são necessárias, porque é difícil identificar os participantes numa situação de contágio, ao contrário do que se passa numa escola ou numa fábrica, onde os utilizadores do espaço são identificáveis em caso de necessidade.

Marta Temido disse que estas medidas agora anunciadas aplicam-se até 03 de Abril, um limiar que pode ser aumentado ou restringido consoante a evolução da doença.

A Comissão Organizadora do 3º Congresso AMAlentejo tomou a decisão de adiar a realização do mesmo para data ainda a definir devido à actual situação do país em relação ao surto de COVID-19 e tendo em consideração as recomendações da Direcção Geral de Saúde. A CEBAL decidiu também adiar, temporariamente, o Seminário sobre os Frutos Secos no Alentejo, que estava previsto realizar-se no próximo dia 12 deste mês. Pela mesma razão foi também cancelado o 14º Congresso das Açordas, que se ia realizar de 3 a 5 de Abril, em Portel.

Entretanto coloca-se em dúvida a realização de eventos importantes para região como é o caso da Ovibeja, assim como a Feira de Maio e do Livro em Moura.  

 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
35 38
14 16
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda