PCP acusa Câmara de Moura de limitar o “direito dos trabalhadores”
Publicado | 2020-01-29 04:04:01
 
A Comissão Concelhia de Moura do PCP em comunicado enviado à nossa redacção sublinha que a Câmara Municipal de Moura, procura “coagir os trabalhadores, obrigando os mesmos a abdicar de um dia por conta das férias, de modo a participar na Manifestação do próximo dia 31.”
 
André Linhas Rochas da Comissão Concelhia do PCP em declarações à Planície adiantou que “nós tivemos conhecimento através de conversa com trabalhadores, que teria sido exposta uma informação nos Serviços municipais, referindo que os trabalhadores da Câmara que quisessem participar na manifestação do próximo dia 31 de Janeiro em Lisboa, deviam fazer chegar à secção de Recursos Humanos uma participação de ausência por conta do período de férias.”
André Linhas Roxas sublinhou que “isto é uma situação que consideramos, completamente inadmissível, que vem ao atropelo de um dos principais direitos de relações laborais que conquistamos depois do 25 Abril: o direito à manifestação e o direito à greve. Consideramos que há aqui uma coacção dos trabalhadores.”
O comunista refere ainda que “depois daquele processo da retirada da propaganda política e a acrescentar este processo, parece-nos que foi muito pouco cuidado o respeito pelos trabalhadores.”
A Comissão da Concelhia de Moura do PCP deixa uma palavra aos trabalhadores da Câmara Municipal de Moura que podem participar na manifestação de dia 31 utilizando um dos direitos conquistados com o 25 de Abril, o direito à Greve.

 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
21 20
12 11
 
 
 
 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda