Protocolo entre o Município de Moura e a Mineraqua é assinado no dia 14 de Janeiro
Publicado | 2020-01-07 04:52:48
 
Tal como a Planície havia noticiado, no final de 2019, vai ser assinado no próximo dia 14 de Janeiro o protocolo entre a Câmara Municipal de Moura e a Mineraqua Portugal, empresa detentora da marca Água do Castello, recentemente adquirida pela Central de Cervejas, com o objectivo de dar a conhecer todo o património histórico desta água minero medicinal.
 
O presidente da autarquia mourense, Álvaro Azedo, referiu que “este protocolo prevê acima de tudo, a preservação da memória e o olharmos para o passado como uma riqueza que temos que reavivar no presente e no futuro.”
O autarca acrescentou que “ comemoramos agora 121 anos sobre aquele 14 de Janeiro de 1899, em que a Câmara Municipal de Moura assinou o contrato de exclusividade com Julio Maximo Pereira e António de Assis Camilo, para a exportação das águas minero-medicinais da então Vila de Moura, começando aqui a Água Castello a dar os seus primeiros passos e, é este património histórico e efectivo que queremos reavivar e dar passo a este caminho de cumplicidade com a Água do Castello.”
Álvaro Azedo salientou ainda que “nas comemorações do feriado municipal que este ano vão voltar à Casa do Alentejo em Lisboa, vai ser apresentado um trabalho sobre a Água do Castello.”
O Director de Comunicação e Relações Institucionais do Grupo Central de Cervejas, Nuno Pinto de Magalhães, em entrevista à Planície, afirmou que “este protocolo permite a abertura ao público, do  museu da história riquíssima da Água de Castello e da sua relevância no contexto local, quer em Moura, no Alentejo e quer também a nível nacional, porque quando falamos da água, estamos a falar de uma marca icónica, histórica e de grande relevância para Portugal.
Existindo aquele núcleo museológico, de forma articulada com a Câmara Municipal de Moura, decidiu-se abrir à comunidade, não só às pessoas que vivem em Moura e no Alentejo, mas também a todos que queiram visitar.”
Nuno Pinto de Magalhães sublinhou ainda que “tem como objectivo a valorização da nossa marca, o conhecimento e a importância histórica da marca Castello na vivência da cidade de Moura.”
No que se refere às visitas o Director adiantou que “serão organizados grupos por visita, que têm como limite até 35 inscrições. As visitas, serão preferencialmente ao fim de semana e eventualmente durante a semana, com uma perspectiva de termos visitas mensais, abertas às comunidades escolares, grupo de turistas e curiosos que queiram conhecer. 
A Câmara disponibiliza recursos humanos, no sentido de fazer o acompanhamento das visitas, nós disponibilizamos as nossas instalações e também a degustação dos nossos produtos.”
A sessão de assinatura do protocolo decorrerá no recinto do Castelo de Moura, local da primeira unidade de exploração, pelas 14h30, do dia 14 de Janeiro, sendo posteriormente realizado o Percurso Temático da Água “Do Castello até Pisões”.

 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
16 14
10 9
 
 
 
 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda