Protocolo entre o Município de Moura e a Mineraqua é assinado no dia 14 de Janeiro
Publicado | 2020-01-07 04:52:48
 
Tal como a Planície havia noticiado, no final de 2019, vai ser assinado no próximo dia 14 de Janeiro o protocolo entre a Câmara Municipal de Moura e a Mineraqua Portugal, empresa detentora da marca Água do Castello, recentemente adquirida pela Central de Cervejas, com o objectivo de dar a conhecer todo o património histórico desta água minero medicinal.
 
O presidente da autarquia mourense, Álvaro Azedo, referiu que “este protocolo prevê acima de tudo, a preservação da memória e o olharmos para o passado como uma riqueza que temos que reavivar no presente e no futuro.”
O autarca acrescentou que “ comemoramos agora 121 anos sobre aquele 14 de Janeiro de 1899, em que a Câmara Municipal de Moura assinou o contrato de exclusividade com Julio Maximo Pereira e António de Assis Camilo, para a exportação das águas minero-medicinais da então Vila de Moura, começando aqui a Água Castello a dar os seus primeiros passos e, é este património histórico e efectivo que queremos reavivar e dar passo a este caminho de cumplicidade com a Água do Castello.”
Álvaro Azedo salientou ainda que “nas comemorações do feriado municipal que este ano vão voltar à Casa do Alentejo em Lisboa, vai ser apresentado um trabalho sobre a Água do Castello.”
O Director de Comunicação e Relações Institucionais do Grupo Central de Cervejas, Nuno Pinto de Magalhães, em entrevista à Planície, afirmou que “este protocolo permite a abertura ao público, do  museu da história riquíssima da Água de Castello e da sua relevância no contexto local, quer em Moura, no Alentejo e quer também a nível nacional, porque quando falamos da água, estamos a falar de uma marca icónica, histórica e de grande relevância para Portugal.
Existindo aquele núcleo museológico, de forma articulada com a Câmara Municipal de Moura, decidiu-se abrir à comunidade, não só às pessoas que vivem em Moura e no Alentejo, mas também a todos que queiram visitar.”
Nuno Pinto de Magalhães sublinhou ainda que “tem como objectivo a valorização da nossa marca, o conhecimento e a importância histórica da marca Castello na vivência da cidade de Moura.”
No que se refere às visitas o Director adiantou que “serão organizados grupos por visita, que têm como limite até 35 inscrições. As visitas, serão preferencialmente ao fim de semana e eventualmente durante a semana, com uma perspectiva de termos visitas mensais, abertas às comunidades escolares, grupo de turistas e curiosos que queiram conhecer. 
A Câmara disponibiliza recursos humanos, no sentido de fazer o acompanhamento das visitas, nós disponibilizamos as nossas instalações e também a degustação dos nossos produtos.”
A sessão de assinatura do protocolo decorrerá no recinto do Castelo de Moura, local da primeira unidade de exploração, pelas 14h30, do dia 14 de Janeiro, sendo posteriormente realizado o Percurso Temático da Água “Do Castello até Pisões”.

 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
30 31
15 11
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda