Apanha nocturna mecânica de azeitona passa a ser infracção
Publicado | 2019-11-07 04:38:18
 
O Conselho Directivo do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, (ICNF), tornou público no seu site que “Reforçar o alerta já iniciado ao sector da olivicultura de que a prática de colheita mecânica nocturna de azeitonas nos olivais superintensivos pode implicar a perturbação e mortalidade de aves; A perturbação e mortalidade de aves constituem uma infracção à legislação em vigor, que deverá ser objecto de acção sancionatória adequada nos termos da lei, pelo que os olivicultores se deverão abster de desenvolver qualquer prática que possa promover esta mortalidade, designadamente a apanha nocturna de azeitona.”
 
Assim vão ser reforçadas acções de fiscalização até Março de 2020 e adianta que “durante a campanha de 2019/2020 será realizado novo estudo, coordenado pelo INIAV e acompanhado pelo ICNF,IP e DRAPAL com o objectivo de avaliar os impactes provocados pela colheita mecânica nocturna de azeitonas nos olivais superintensivos.”
O documento acrescenta que  “os olivais superintensivos se diferenciam dos olivais tradicionais e intensivos por apresentarem as árvores plantadas em sebe, com densidades que ultrapassam as 1500 árvores por hectare e com início de produção muito precoce; Esta estrutura de sebe, apresenta uma densidade elevada da folhagem o que pode fornecer a protecção que as aves procuram, pelo que as aves utilizam durante a noite estes olivais como local de refúgio e de dormida.” 
 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
12 13
5 3
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda