Moura - Vereadores da CDU explicam a sua votação contra Orçamento e GOP para 2020
Publicado | 2019-11-06 04:35:48
 
Os vereadores da CDU vêm reagir a proposta aprovada em reunião extraordinária da Câmara Municipal de Moura no que se refere às Grandes Opções do Plano e Orçamento para o ano de 2020.
 
Assim, em nota de imprensa, salientam que apresentaram uma proposta de Orçamento e GOP para 2020. No documento pode ler-se que “Começa a ser recorrente a pouca importância que o executivo do PS dá ao papel construtivo que a CDU imprime na sua acção nos órgãos autárquicos. O facto de o Presidente da Câmara delegar no Vice-Presidente exclusivamente a discussão destas questões demonstra factualmente o desinteresse pela admissão de contributos à proposta de orçamento e GOP.”
O vereador da CDU, André Linhas Roxas, sublinha que “nós temos mantido dois anos de oposição sempre com o objectivo de melhorar as condições de vida das pessoas do nosso município. Para isso o Orçamento e o GOP é um instrumento essencial.”
O vereador acrescenta que apresentaram alguns pontos que consideram essenciais para o desenvolvimento do concelho, nomeadamente “O desenvolvimento social em torno da intervenção na área social, da valorização da educação e da promoção da cultura nas suas diversas vertentes; A gestão do sector das águas, saneamento e resíduos como condição para prestar melhor serviço às populações; A reabilitação das infraestruturas existentes, com destaque para os equipamentos e para as vias municipais; A actuação sobre a diversificação e consolidação da base económica como condição para geração de emprego com direitos.” André Linhas Roxas diz ainda que foram apresentadas propostas concretas para atingir as prioridades, destacando “redefinição da estratégia de Lógica visando a sua afirmação no contexto das perspectivas de crescimento do sector das energias renováveis e desenvolvimento de ações no domínio da eficiência energética; criação de um sistema de gestão patrimonial das infraestruturas com zonas de medição e controlo e introdução da telegestão; projecto da renovação da rede de águas e saneamento em Safara; 1ª fase da remodelação da rede de águas em Amareleja; programa de Apoio ao Investimento de Base Local e Programa de Animação e de promoção de compras no mercado local.”
Para o vereador “aumentam-se as despesas correntes de forma desregulada, quando se defendia a sua redução. Mantém-se uma orientação que vai do assistencialismo à injustiça social.   Não é evidente uma política ou estratégia para as empresas do sector municipal ou do sector privado. Não há uma estratégia para o sector de gestão da água. Se em 2018 a montanha pariu um rato e em 2019 o rato ficou quieto, para 2020 teremos uma montanha estéril, inerte, sem acção refém do peso que a acção deste executivo lhe imprimiu.”
Referindo-se à votação da CDU, André Linhas Roxas refere a responsabilidade que tem com os habitantes do concelho “depois de verificar que nada foi alterado após a reunião no âmbito do Estatuto da Oposição e que não existe uma perspectiva de colocar o Município ao serviço do futuro do concelho, a CDU não se pode rever neste documento.”
Recordamos que a votação das Grandes Opções do Plano e Orçamento para 2020 teve 4 votos a favor do PS e 3 votos contra da CDU.
 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
17 15
10 7
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda