Nova campanha da azeitona “Mais azeite e de excelente qualidade”
Publicado | 2019-11-04 04:10:48
 
É geralmente nos inícios de Novembro que se procede à apanha da azeitona, a estender-se, por vezes, até ao mês de Janeiro. A produção de azeitona destina-se sobretudo à sua transformação em azeite. Embora ainda no início, a Cooperativa Agrícola de Moura Barrancos prevê que a campanha deste ano seja igual à do ano passado.
 
O representante da Cooperativa, Henrique Herculano, sublinhou que “em termos de quantidade expectável não deve ser inferior à quantidade de azeitona laborada o ano passado.  O que nos dá sinais um pouco diferentes, neste caso no sentido positivo é rendimentos da azeitona em azeite mais altos do que os verificados em período homologo da última campanha. Poderá indicar uma campanha superior em termos de quantidade total em azeite, não muito, mas superior. Em termos de quantidade senão houver percalços será excelente.”
Por seu lado o presidente da Associação dos Agricultores do Baixo Alentejo, Francisco Palma, salienta que por vezes há falta de mão de obra e também é necessário distinguir o olival de sequeiro do de regadio, contando que o tempo, se não arrefecer, pode afectar a qualidade da azeitona.
“Em termos de qualidade, os rendimentos da azeitona estão muitos bons. A qualidade do azeite também está boa”, diz Francisco Palma e acrescenta “o que pode falhar é muitas vezes a falta de mão de obra para a apanha da azeitona e também algum tempo quente que se mantém. O frio já devia ter vindo, ajuda a conservar a qualidade da azeitona. As temperaturas que se verificaram em Outubro foram bastante altas. Esperamos que isso se inverta no início de Novembro e que as temperaturas baixem.”
Francisco Palma chama a atenção também para o facto de existirem dois sectores de olival diferentes. “Nós temos que dividir os sectores do olival em duas realidades completamente distintas. O olival de regadio e o de sequeiro. O de sequeiro tem uma variabilidade enorme, depende das condições climáticas. O de regadio é muito mais previsível. São duas realidades distintas.”
A campanha da azeitona de 2019/2020 perspectiva-se como mais um ano em que o azeite vai manter um nível elevado de qualidade.

 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
12 13
5 3
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda