Menor produção forrageira em 2019 - Prados e pastagens estão secos
Publicado | 2019-10-28 04:34:42
 
Os técnicos do Instituto Nacional de Estatística (INE) no seu Boletim Mensal da Agricultura e Pescas – Outubro de 2019, referem que “os prados e pastagens de sequeiro estão secos, não tendo a escassa precipitação de Setembro sido suficiente para reiniciar o seu ciclo vegetativo.
 
Os agostadouros também já se encontram esgotados, sendo que as necessidades alimentares dos efectivos das explorações de regime de produção extensivo estão a ser supridas com recurso a forragens conservadas, palhas e silagens. A produção forrageira desta campanha foi inferior, estimando-se uma diminuição de 20%, face a um ano normal.”
No entanto e segundo os mesmos dados, a Campanha do milho decorre normalmente.
“O milho de regadio está em fase final de maturação/secagem do grão. A área colhida até ao final do mês de Setembro era ainda reduzida, uma vez que, face à manutenção do tempo quente e seco, os produtores têm optado por prolongar a secagem natural do grão no campo, poupando os custos inerentes à secagem artificial. Tendo em
conta a presença de espigas em tamanho e quantidade normais, estima-se um rendimento próximo do alcançado na campanha anterior (9,2 toneladas por hectare).”
No final de Setembro, e de acordo com o índice meteorológico de seca todo o território continental encontrava- -se em situação de seca meteorológica, sendo que as classes mais intensas (extrema e severa) estendiam-se por 36,1% do Continente (34,9% em Agosto), correspondendo a quase todas as regiões a sul do rio Tejo.
Quanto às reservas hídricas, o volume de água armazenado nas albufeiras de Portugal continental encontrava-se nos 57% da capacidade total, inferior ao valor registado no final do mês anterior (61%) e ao valor médio de 64%. 

 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
12 13
5 3
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda