Professores mantêm greve para garantir 35h de trabalho
Publicado | 2019-10-15 04:17:30
 
Os docentes iniciaram uma greve sem fim determinado em que reivindicam um horário de 35h semanais conforme regime aplicável à generalidade dos trabalhadores da Administração Pública e também está disposto no Estatuto da Carreira Docente.
 
O presidente do Sindicato dos Professores da Zona Sul, Manuel Nobre, esclarece que “esta greve vem na sequência de outra semelhante que decorreu durante todo o ano lectivo passado. Os professores e educadores tentaram por diversas vezes levar este assunto, que tem a ver com os horários ilegais ao Ministro da Educação. Mas nada foi resolvido.”
O sindicalista sublinha ainda que “tendo em conta que é uma classe bastante envelhecida, onde não entram novos professores para a carreira, os que cá estão têm que fazer o seu trabalho e mais algum, porque o Governo não quer abrir concurso para novos profissionais.”
Como esta greve só se refere aos trabalhos extra curriculares Manuel Nobre lembra que “durante este período de greve, onde mais uma vez iremos insistir para o Governo acabe por eliminar estas ilegalidades. Esta é uma greve que terá pouca expressão no dia a dia dos alunos, porque só se refere ao horário para além do normal de trabalho.”
A greve incide sobre reuniões de avaliação, reuniões de preparação e coordenação de trabalho lectivo, secretariado de provas de aferição e exames, acções de formação, coadjuvação de aulas ou apoio a alunos, entre outras actividades, sempre que estas sejam marcadas fora do horário de 35 horas.
O protesto só irá terminar quando houver uma resposta positiva por parte do Governo.

 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
14 12
8 5
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda