Évora vai fabricar as componentes para os novos aviões da Força Aérea Portuguesa
Publicado | 2019-08-26 04:47:21
 
Foi assinado em Évora o contrato para a compra de 5 aviões de transporte militar KC-390, que incluem componentes feitos em Portugal, nas fábricas da Embraer em Évora e em Alverca (as antigas OGMA), e visam substituir os Hércules C-130 da Força Aérea.
 
António Costa afirmou que “é um bom dia para as nossas Forças Armadas, é um bom dia para o nosso sistema de inovação e indústria, é um bom dia para a cidade de Évora, para o conjunto do Alentejo e para a coesão territorial e é um grande dia para as relações entre Portugal e o Brasil.”
A compra, que representa um total de 827 milhões de euros da Lei de Programação Militar, inclui ainda um simulador de voo, a manutenção das aeronaves nos primeiros 12 anos de vida e a adaptação das infraestruturas, foi decidida no Conselho de Ministros de 11 de Julho.
O Primeiro-Ministro sublinhou que as Forças Armadas portuguesas “veem hoje reforçadas, no âmbito da execução da Lei de Programação Militar, as suas capacidades em matéria aeronáutica”, ficando dotadas “com uma nova geração de aeronaves de transporte tático e estratégico, de apoio a missões de interesse público, que podem substituir a esquadra dos C-130 que, desde 1977, opera ao serviço da Força Aérea Portuguesa”.
O Ministro da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho, destacou que “Portugal está a adquirir a melhor aeronave do mercado para os requisitos operacionais e logísticos específicos do nosso País”. 
“O KC-390 é uma aeronave com alcance intercontinental, dotada de verdadeiras capacidades multimissão, e capaz de executar operações estratégicas e táticas, civis e militares”, disse ainda.

 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
12 13
5 3
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda