Plataforma Alentejo reuniu com a Administração do Porto de Sines sobre a Linha do Alentejo
Publicado | 2019-08-13 04:11:37
 
Realizou-se na Sede da Administração do Porto de Sines uma reunião de trabalho entre representantes da Administração da APS e representantes do Secretariado da Plataforma Alentejo.
 
A reunião, teve como objectivo aprofundar a discussão, de forma detalhada, em torno da questão das acessibilidades terrestres, sobretudo as ferroviárias, fundamentais para responder aos novos desafios do Porto de Sines, resultantes das recentes decisões de avançar com a 3ª fase do Terminal XXI e com a construção do Terminal Vasco da Gama.
 José Soeiro da Plataforma Alentejo sublinhou que “estes investimentos vão aumentar para o quádruplo a capacidade actual de recepção de contentores. Assim, necessitam de acessibilidades terrestres para garantir a sua distribuição não só para o território nacional, mas para toda a Península Ibérica.” João Soeiro acrescenta que” a Plataforma mostrou que o Porto de Sines carece de recorrer à linha do Alentejo, na medida em que permitirá garantir a Sines resposta atempada.”
A reunião permitiu “clarificar que as propostas avançadas pela Plataforma Alentejo, agora reforçadas pelo Estudo Técnico da REFER, em nada colidem com os investimentos previstos para a ligação Sines-Poceirão-Évora-Caia/Badajoz, constituindo, pelo contrário, uma solução imprescindível ao próprio desenvolvimento das soluções equacionadas até ao presente. As soluções apresentadas pela Plataforma Alentejo, designadamente a electrificação e modernização de toda a Linha do Alentejo entre Casa Branca-Beja-Funcheira, com a construção da subestação de tração a sul de Beja, são claramente a solução mais rápida, barata e eficaz, para garantir atempadamente ao Porto de Sines soluções seguras e capazes de evitar constrangimentos futuros que resultarão, inevitavelmente, para o mesmo, se estas propostas, positivas e construtivas, avançadas pela Plataforma Alentejo, não forem atendidas, e postas em prática no imediato, “ adiantou José Soeiro.
A Linha do Alentejo,  como a Plataforma Alentejo tem vindo a apresentar ao longo do último ano, permite o desenvolvimento dos trabalhos 24h por dia se necessário, sem causar quaisquer tipo de constrangimentos à realidade existente pelo que se impõe avançar no imediato, ainda no quadro do H2020, com a candidatura dos projectos de execução com base no Estudo Técnico da REFER agora conhecido.
 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
35 35
16 18
 
 
 
 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda