Hospital de Beja pioneiro a tratar fibrilhação auricular no Sul do País
Publicado | 2019-07-31 03:57:32
 
O Serviço de Cardiologia da Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo realizou a primeira ablação de fibrilhação auricular pela técnica de crioablação na região sul, um procedimento minimamente invasivo utilizado para corrigir esta perturbação do ritmo cardíaco através do isolamento eléctrico das veias pulmonares na aurícula esquerda.
 
“A fibrilhação auricular aumenta o risco de insuficiência cardíaca e Acidente Vascular Cerebral, sendo também factor de risco para o desenvolvimento de demências. É uma condição que aporta custos para a população e, por isso, é com orgulho que o Hospital de Beja passa agora a ser um centro que vem ajudar a tratar esta patologia”, afirma o cardiologista Luís Moura Duarte.  O primeiro doente tratado com esta técnica foi submetido ao procedimento na passada sexta-feira, 26 de Julho de 2019, no Hospital José Joaquim Fernandes, que passa agora a dispor desta opção de tratamento. A ablação neutraliza os impulsos eléctricos anormais do tecido cardíaco e pode ser a solução para tratar a fibrilhação auricular quando não está controlada pela medicação.
 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
15 17
6 7
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda