Arrancou a obra da “Moradia Autónoma” na APPACDM de Moura
Publicado | 2019-07-19 04:00:52
 
A APPACDM de Moura iniciou a obra de construção de uma moradia autónoma para cinco clientes da instituição. É uma solução defendida pela actual direcção para a sustentabilidade da APPCDM de Moura.
 
O Presidente da Instituição, António Ildefonso, sublinhou que “esta resposta social, ou seja uma moradia autónoma, para cinco clientes, revela-se extremamente importante para a instituição, dado que temos um cenário a nível de apoio familiar dos nossos clientes, com uma idade avançada e que, não consegue manter o apoio necessário aos seus filhos e familiares. É uma situação que se tem ido agravando, está identificada pela APPACDM. Dado este cenário, nós temos e devemos tomar uma atitude no sentido de dar respostas a estas famílias.”
António Ildefonso acrescentou que “os principais objectivos desta moradia autónoma, além de dar uma resposta social aos nossos clientes, é uma mais valia no sentido da manutenção e viabilidade da instituição. São mais 5 pessoas que vão integrar esta moradia, logo teremos necessariamente mais cinco acordos com a Segurança Social. Isso permite-nos ter um conforto diferente do cenário actual a nível económico.”
Sobre os apoios para a concretização do projecto da moradia autónoma, o presidente da APPACDM de Moura salientou que “dado que não tivemos apoio financeiro por parte do Portugal 2020, decidimos socorrer com a banca, no sentido de financiar a obra. É claro que esta situação, vai, durante uns tempos contrair a parte financeira e funcionamento da instituição. É um esforço que nos merece toda a atenção. Com a ajuda de todas as entidades locais e regionais às quais estamos neste momento a pedir apoios, nós vamos ultrapassar esta fase.”
 “Estimamos o prazo de execução da obra de cerca de 8 meses, ou seja no inicio de 2020 temos a obra concluída.” António Ildefonso sobre a previsão da conclusão da obra.
A implementação de uma Residência autónoma para pessoas portadoras de deficiência é uma necessidade identificada pelo Concelho Local de Acção Social. 
A residência autónoma vai chamar-se “Montinho da Autonomia” tendo em conta que a sua localização será no laranjal, terá capacidade total para 5 clientes, será na tipologia T5. Todos os quartos serão individuais com casa-de-banho privativa, para potencializar a privacidade e autonomia dos clientes. 
 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
16 16
11 11
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda