Falta de avaliação ao serviço ferroviário no Baixo Alentejo
Publicado | 2019-07-10 04:42:15
 
A Autoridade da Mobilidade e dos Transportes (AMT) tonou público ter realizado uma acção de fiscalização à empresa CP – Comboios de Portugal, que teve como objectivo apurar a situação da prestação do serviço de transporte de passageiros no decurso dos 1.º e 2.º semestre de 2018.
 
A avaliação incidiu sobre as linhas do Norte, de Cascais, de Sintra, do Oeste e do Algarve, não constando a avaliação à linha do Baixo Alentejo.
O deputado do PS eleito por Beja, Pedro do Carmo, questionou a Autoridade da Mobilidade e dos transportes sobre esse facto e adiantou que “sim eu questionei a Autoridade pelo facto de não ter feito a avaliação ao serviço ferroviário do Baixo Alentejo. Nós sabemos que o serviço é deficitário, que existem muitas queixas, sabemos de toda a fragilidade, das deficiências do mau serviço prestado. Não compreendo porque é que a Autoridade da Mobilidade e dos Transportes não incluíram na sua avaliação este troço.”
O parlamentar sublinhou que “é preciso conhecer quais as razões que determinaram a exclusão da avaliação do serviço ferroviário no território do Baixo Alentejo, apesar dos problemas e constrangimentos existentes?
Pretende a Autoridade da Mobilidade e dos Transportes estender ao território do Baixo Alentejo as recomendações enunciadas para, pelo menos a título transitório, mitigar os constrangimentos identificados?
Em futuras avaliações da qualidade do serviço ferroviário prestado, na qualidade de entidade reguladora, pretende a Autoridade da Mobilidade e dos Transportes incluir o Baixo Alentejo no universo avaliado?”
O deputado socialista não compreende porque razão o Baixo Alentejo ficou fora da avaliação do regulador.
 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
21 21
13 10
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda