PCP diz que parceria da Gestão da Água iria subir preço em Moura para o dobro
Publicado | 2019-06-28 04:46:47
 
O PCP emitiu um comunicado sobre a parceria da gestão da água sublinhando que já em 3 de Junho deste ano, chamou a atenção para uma nova tentativa do PS e de alguns dos seus eleitos, aproveitando uma maioria conjuntural em câmaras municipais do distrito, em abandonar a gestão da água em baixa entregando-a a uma empresa, visando a transformação da água num negócio e criando condições para a sua privatização.
 
José Maria Pós de Mina do Executivo da DORBE do PCP salientou que “nós entendemos que essa não é a solução adequada, para os problemas que existem no sector. Já temos apresentado propostas concretas para o que é necessário fazer nesta área, naturalmente na defesa da gestão pública da água, da acessibilidade económica dos consumidores e da autonomia do poder local. Aquilo que se pretendia com esta medida (que em boa hora foi rejeitada pelas Assembleias de Beja e Castro Verde), era a transformação da água num negócio, abrir caminho à sua posterior privatização, quer através da privatização indirecta quer directa e também através do aumento significativo das tarifas da água, dos encargos tarifários. Naturalmente situação que nós consideramos que é lesiva dos interesses dos consumidores. No caso concreto de Moura, significaria que a água aumentaria muito mais do dobro que é pago pelos consumidores actualmente.”
O PCP salienta ainda que “caso fosse aprovado a parceria iria provocar a extinção da EMAS e a perturbação laboral para os trabalhadores envolvidos.”

 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
15 17
6 7
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda