No final do ano prevê-se que 98% dos portugueses tenham médico de família
Publicado | 2019-06-20 04:56:34
 
O Primeiro-Ministro António Costa afirmou que «com a conclusão do concurso para as 400 vagas para médicos de medicina geral e familiar, se todos os candidatos aceitarem as posições em que ficam, nós conseguiremos atingir 98% de portugueses com médico de família, se todos os candidatos aceitarem as posições em que ficam», em resposta a perguntas dos deputados, durante o debate quinzenal na Assembleia da República.
 
O Governante adiantou que esta é «a maior redução de sempre de portugueses sem médico de família».
O Governo tem «consciência de que não basta abrir vagas, é necessário que as vagas sejam suficientemente atractivas para que haja um número de candidatos suficiente para que elas possam ser completamente preenchidas», disse.
António Costa referiu também que no ano entre Maio de 2018 e Maio de 2019 foram feitas «mais 190 mil consultas nos cuidados primários e mais 140 mil consultas nas unidades hospitalares» do que no mesmo período anterior, pelo que o Estado está «a conseguir recuperar o tempo perdido».
Das cerca de 100 mil consultas em espera «já foi recuperada uma parte significativa até agora, e o objectivo que temos é haver uma recuperação total até ao final do ano».

 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
21 21
13 10
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda