65% Dos médicos portugueses em formação pensa sair do país
Publicado | 2015-06-11 04:17:50
 
65 Por cento dos médicos portugueses actualmente a frequentar o internato da especialidade, período de formação pós-graduada que conduz à obtenção da especialidade, considera emigrar após a sua conclusão.
 
Essa tendência aumenta com o decorrer dos anos de formação, sendo que no primeiro ano, 53 por cento dos inquiridos coloca essa hipótese e no último ano essa percentagem sobe para 74 por cento. Esta é uma das principais conclusões do estudo “Satisfação com a Especialidade entre os Internos da Formação Específica em Portugal”, conduzido por um conjunto de 31 médicos de todo o País, e onde foram inquiridos mais de 800 médicos em formação de 45 diferentes especialidades e distribuídos por unidades de saúde de todo o País. O estudo foi publicado na Acta Médica Portuguesa, a mais importante revista científica médica do país.
Segundo os seus promotores, o objetivo deste estudo foi avaliar a percepção dos médicos internos sobra a sua especialidade e o seu local de formação, bem como as razões da insatisfação e intenção de emigrar.
 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
29 30
14 11
 
 

Nome:

Email:

 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda