Executivo de Serpa preocupado com o encerramento de escolas no concelho
Publicado | 2019-05-29 04:27:33
 
O Ministério da Educação enviou uma proposta ao executivo camarário de Serpa, sobre o encerramento de escolas em A do Pinto e Vales Mortos.
 
A vereadora da Câmara Municipal de Serpa, Odete Borralho sublinhou que “a autarquia recebeu por parte do Ministério da Educação ofícios para a Câmara se pronunciar sobre a proposta de encerramento de 2 turmas de pré escolar, uma em A do Pinto e outra em Vales Mortos e ainda uma turma de 1º ciclo em A do Pinto o que significaria o encerramento das escolas neste lugar e em Vales Mortos ficaríamos apenas o nível de ensino de 1º Ciclo.”
Odete Borralho, manteve reuniões com a direcção regional de educação, com os pais e encarregados de educação das duas localidades e ainda com a direcção dos dois agrupamentos de escolas do concelho, sendo que o Executivo já se pronunciou frontalmente contra o encerramento de quaisquer níveis de ensino destas escolas e tudo irá fazer para evitar este encerramento.
“Argumentamos que é muito importante estas escolas se mantenham abertas, porque estamos a falar de lugares já por si muito isolados. A escola de Vales Mortos abrange todo a área da Serra de Serpa, tínhamos a escola de Santa Iria que fechou já alguns anos.”
A vereadora adiantou que “nós aqui lutamos pela não desertificação do nosso território e este encerramento é vista por nós como um retrocesso. Nós estamos a puxar a corda para um lado e o Governo puxa-nos o tapete por outro.”
Para o Executivo esta possibilidade levantada pelo Ministério segue critérios cegos e não particulariza situações como as que se vivem nestas duas localidades do concelho, em que o encerramento das escolas pode vir a ditar mais desertificação. Para o Executivo, as escolas ainda são o grande polo de desenvolvimento das localidades e das próprias famílias. Por outro lado, o Executivo defende que a deslocação de crianças do pré-escolar para outras escolas não é a melhor solução, até porque como não é de frequência obrigatória, muitas crianças deixariam de o frequentar.
Odete Borralho salienta ainda que “em relação a Vales Mortos a situação é a mais grave, porque significa que as crianças de 3 anos teriam que ser deslocadas para Serpa, algumas já vêm dos montes e ainda teriam que fazer quase 50kms em carrinhas escolares.”

 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
35 35
16 18
 
 
 
 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda