Nascimentos em Portugal atingiram valor mais alto em sete anos
Publicado | 2019-04-29 04:14:19
 
O “teste do pezinho” é efectuado a partir do terceiro dia de vida do recém-nascido, através da recolha de umas gotículas de sangue no pé da criança, e permite actualmente detectar 26 doenças, 25 das quais de origem genética, possibilitando uma actuação precoce e um desenvolvimento mais saudável das crianças.
 
Em 2014, foram realizados no primeiro trimestre do ano 19.574 testes, número que subiu para 21.348 este ano, mais 1.776, o que significa um aumento de 9% de recém nascidos.
Lisboa foi o distrito com mais exames realizados (6.419), seguido do Porto (3.814), Setúbal (1.596), Braga (1.562), Aveiro (1.091) e Faro (1.082).
Guarda foi o distrito onde menos crianças realizaram o teste (165), segundo os dados do programa coordenado pelo Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA), através da sua Unidade de Rastreio Neonatal, Metabolismo e Genética, do Departamento de Genética Humana
Janeiro foi o mês que registou o maior número de exames feitos (8.291), seguido de Março (6.642) e de Fevereiro (6.415).
Em 2018, houve 86.827 recém-nascidos, mais 674 do que em 2017, ano em que foram realizados 86.180 “testes do pezinho”.

 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
32 30
15 15
 
 
 
 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda