Seca depende do que acontecer em Abril
Publicado | 2019-04-09 04:55:33
 
A agricultura está dependente do que vai suceder na Primavera, ou seja da quantidade de água que irá chover. Os agricultores esperam que se realize o ditado Abril águas mil.
 
O presidente da CAP, Eduardo Oliveira e Sousa, em entrevista ao Jornal de Negócios diz que “se em Abril chover abundantemente os efeitos podem ser minimizados, caso contrário, a situação será idêntica à vivida em 2017.” O presidente da CAP “lamenta que se olhe para a questão da seca de forma casuística e que não se trabalhe num plano de longo prazo. Ao contrário do que seria desejável, não há qualquer comissão a trabalhar no impacto nas alterações climáticas.”
Também o Presidente da Associação de Agricultores do Baixo Alentejo, Francisco Palma, afirmou à Planície que “a situação é preocupante, porque o Inverno veio com pouca água e bastante seco. Temos a esperança que melhore, o agricultor tem sempre esperança que melhore. Esperamos que o mês de Abril traga água. Há coisas que já estão bastante mal nos solos mais fracos, vamos ver o que o Abril nos trás. Se não chover pode ser catastrófico.” 
Francisco Palma adiantou ainda que “ se não chover nas explorações beneficiadas por Alqueva os problemas não são graves, mas as áreas de sequeiro vai ser muito mau.” 
Os agricultores esperam que o provérbio -Abril águas mil- se concretize.
 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
19 19
6 8
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda