Alentejo de Negro contra o Olival Intensivo e superintensivo
Publicado | 2019-04-05 04:42:29
 
Segundo um comunicado do Partido Ecologista os Verdes, vai realizar uma iniciativa que passa por “assinalar com 500 bandeiras negras a ameaça de morte do futuro do Alentejo, que paira sobre os seus solos e águas, com a expansão do olival intensivo (Super intensivo) que destrói solos e contamina águas, situação tanto mais grave, quando nos estamos a confrontar com os estudos que apontam esta como a região do país mais vulnerável à seca, como consequência das Alterações Climáticas.”
 
A dirigente nacional dos Verdes, Manuela Cunha, explicou à Planície que “os verdes estão muito preocupados com a expansão do olival intensivo e superintensivo no Alentejo. O impacto que eles têm sobre o ambiente, no empobrecimento dos solos, que são muito bons para a agricultura e no esgotamento das águas do Alentejo. Estão a poluir as águas com grandes cargas de químicos e é necessário gerir bem e manter a boa qualidade da água.”
A dirigente acrescentou ainda que “os verdes vão fazer uma campanha em que vamos percorrer os concelhos dos 3 distritos alentejanos em que serão colocadas bandeiras pretas, como forma de chamar a atenção para o grave problema.”
 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
19 24
7 8
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda