PCP preocupado com a morte de aves nos olivais intensivos e superintensivos
Publicado | 2019-03-18 04:43:56
 
O Partido Comunista Português entregou um requerimento na Assembleia da República, em que questiona o Governo sobre o grande número de aves mortas durante a apanha nocturna da azeitona.
 
O deputado do PCP eleito por Beja, João Dias, sublinhou à Planície que “ o partido comunista tem acompanhado de forma muito pertinente e preocupada os olivais intensivos e  superintensivos. Em Portugal a apanha nocturna de azeitona é uma prática corrente. O período nocturno é, precisamente, o momento de descanso e repouso das aves, sendo que as máquinas de apanha de azeitona pelo ruído e a sua iluminação que produzem “cegam” os pássaros, que ficam incapazes de fugir e acabam por ser sugados juntamente com a colheita de azeitona.” 
Segundo o ICNF (Instituto de Conservação da Natureza e das Floresta) estima uma média de 6,4 aves mortas por hectare, o que tendo em conta a área total de olival superintensivo no Alentejo, implica cerca de 95 mil aves mortas pela apanha de azeitona nocturna.
Assim o deputado acrescentou que “o grupo parlamentar do PCP com base nos termos regimentais aplicáveis, perguntou ao Governo, através do Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural - Que conhecimento tem o governo quanto ao abate de aves durante a apanha nocturna de azeitona nos olivais superintensivos. 
- Está o governo disponível para avaliar e monitorizar o impacto dos olivais intensivos na biodiversidade das áreas cultivadas com os referidos olivais 
- Que medidas foram ou vão ser tomadas para prevenir a morte de aves durante a apanha nocturna de azeitona.”
 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
37 35
20 18
 
 
 
 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda