CIMBAL - Balanço da execução de fundos comunitários no Baixo Alentejo
Publicado | 2019-03-07 04:15:41
 
Segundo o balanço realizado pela CIMBAL sobre a execução dos fundos comunitários em 2018 a situação no Baixo Alentejo foi muito positiva.
 
No âmbito do Pacto para o Desenvolvimento e Coesão Territorial (PDCT) gerido pela CIMBAL e que materializa as estratégias territorializadas de gestão de fundos, destinados a financiar projectos de escala municipal e intermunicipal, a evolução no último trimestre foi muito positiva, fechando o ano com uma taxa de execução de 18%, superando o previsto.
A informação disponibilizada pela CIMBAL, salienta que “ no Sistema de Incentivos ao Empreendedorismo e ao Emprego (SI2E), destaca-se a elevada taxa de execução. Os valores pagos aos promotores já ultrapassam os 1,7 milhões de euros, de um total de quase 3,8 milhões de euros de fundos comunitários aprovados. Este valor revela um contributo assinalável para o estímulo às micro e pequenas empresas do Baixo Alentejo, com reflexo positivo na criação de postos de trabalho e promoção de condições para fixação de população na nossa região.”
Em relação à execução dos Municípios do Baixo Alentejo nos Planos Estratégicos de Desenvolvimento Urbano (PEDU’s), instrumento que se destina a financiar projectos de mobilidade urbana sustentável e regeneração urbana, no âmbito do Alentejo 2020, a taxa média dos municípios baixo alentejanos beneficiários deste programa (Aljustrel, Beja, Castro Verde, Moura e Serpa) já ultrapassa os 32%, mais que duplica a média global dos PEDU’s do Alentejo.

 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
25 28
14 12
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda