Campanha para a nacionalização da Moura Fábrica Solar
Publicado | 2019-01-30 05:07:02
 
Segundo um comunicado, a campanha Empregos para o Clima em Portugal, defende que “a Moura Fábrica Solar deve ser nacionalizada, garantindo emprego digno para os trabalhadores e energia limpa para o país.”
 
O comunicado adianta que “Acciona culpa o mercado competitivo dominado por fabricantes chineses.  A fábrica MFS – Moura Fábrica Solar não fecha porque não faz lucro mas fecha porque não faz lucro o suficiente. Alias, a empresa já anunciou que quer transferir a sua produção para fábricas na Ásia.”

Assim, a campanha Empregos para o Clima defende que o governo deve intervir no processo, nacionalizar a fábrica e produzir painéis solares para montar nas escolas públicas e nos edifícios administrativos. “Neste momento, estes edifícios públicos estão a comprar energia das empresas privadas, o que faz com que o dinheiro público sirva interesses privados. Se for pelo contrário duma empresa pública que não se foca no lucro, os painéis seriam financeiramente acessíveis e em poucos anos os edifícios tornar-se-iam energeticamente independentes, poupando custos de energia,” acrescenta o documento.

A Planície falou com o deputado do PCP eleito por Beja, João Dias, adiantando que “será uma situação que o Estado deverá estudar e analisar, tendo em consideração até que houve uma contrapartida de investimento neste projecto fotovoltaico em Amareleja. Naturalmente face a fundos europeus que foram alvo de investimento que beneficiou uma empresa espanhola, nem sequer foi uma empresa portuguesa que beneficiou desses fundos que deveriam ser direccionados para Portugal, mas em grande parte tiveram uma rotação para Espanha.” 

O parlamentar acrescentou ainda que “temos uma infraestrutura e um equipamento pronto a poder ser rentabilizado e aproveitado, tanto mais que temos profissionais formados e que pode ser uma solução para esses profissionais. O grupo parlamentar do PCP e o próprio partido tem alertado no Governo esta situação e queremos que tome medidas relativamente para que este empreendimento seja beneficiado e tenha continuação em termos da sua exploração, seja pela via da nacionalização ou por uma outra solução que o Governo encontre. O importante é que se mantenham condições de salvaguardar por um lado os postos de trabalho e por outro aproveitar todo o potencial que a fábrica tem de produzir painéis solares.”

A campanha Empregos para o Clima, que decorre em vários países, como Portugal, visa combater as alterações climáticas e defende a criação massiva de postos de trabalho no sector público em sectores-chave para reduzir as emissões de gases com efeito de estufa.
A Planície contactou o deputado do PS eleito por Beja, Pedro do Carmo, que reportou falar sobre soluções para a fábrica mais tarde. Até à hora do fecho das notícias não nos foi possível contactar a deputada do PSD eleita por Beja, Nilza de Sena.
 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
19 19
6 8
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda