CDU de Moura toma posição em relação ao fecho da Fábrica de Painéis
Publicado | 2019-01-22 04:12:09
 
Segundo um comunicado da Comissão Concelhia de Moura do PCP sobre o encerramento da fábrica de painéis de Moura adianta que “esta situação constitui um facto negativo para o concelho de Moura, com repercussão a nível do aumento do desemprego e na fragilização da economia local.”
 
Em declarações à Planície, João Ramos, da Concelhia de Moura do PCP, sublinhou que “o encerramento da fábrica não está desligado do processo de concentração e integração capitalista em que o que impera é a guerra da competitividade e da conquista de mercados dentro das empresas e isso determina que também vá sucedendo coisas desta natureza. Paralelamente queremos também prestar solidariedade com os trabalhadores envolvidos.” 

João Ramos adiantou ainda que “valorizando todo o trabalho que foi efectuado no âmbito do projecto das energias renováveis, em que os eleitos da CDU tiveram um papel determinante, o PCP regista e denuncia a demagogia do PS com destaque para o presidente da câmara, que procura fazer esquecer o que foi o papel que os eleitos locais do PS tomaram em todo o processo, pelas dificuldades que procuraram criar e por não terem dado o seu voto favorável em aspectos essenciais do projecto, de que são exemplos, no inicio, a tentativa de impedimento de criação da Amper e na fase subsequente a abstenção do zonamento da UP11, questão que era indispensável para permitir a instalação da Fábrica.” 

O comunicado sublinha que “ as declarações sobre uma pretensa falha nas negociações que podiam ter ido mais além no prazo de obrigatoriedade de manutenção da Fábrica, mais do que uma profunda ignorância sobre como se desenvolvem processos desta natureza e este em particular, o que só por si é revelador do perfil do actual presidente da câmara, patenteiam uma postura de má fé que se tem tornado recorrente transformando-se já numa característica da gestão PS.” 

João Ramos recordou os esforços que foram desenvolvidos pela Comissão Concelhia de Moura do PCP para que a fábrica se mantivesse e destacou “nos últimos tempos foram desenvolvidos esforços para criar condições para que a Fábrica se mantivesse em funcionamento, com iniciativas do deputado do PCP no Parlamento Europeu, e do deputado do PCP eleito por Beja, que questionou o governo sobre a questão do encerramento da Fábrica.

O PCP entende que devem ser intensificadas e diversificadas as diligências no sentido de encontrar uma solução alternativa, que tenha como prioridade a situação dos trabalhadores envolvidos e o aproveitamento das instalações e condições existentes no espaço da Fábrica.”
 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
18 18
9 7
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda