Hospital Central do Alentejo vai ser uma realidade
Publicado | 2019-01-14 04:12:45
 
O Conselho de Ministros na última reunião aprovou a resolução que estabelece o carácter prioritário da concretização do projecto de investimento no Hospital Central do Alentejo, enquanto projecto estruturante de investimento público previsto no Programa de Estabilidade 2018-2022 e no Orçamento de Estado para 2019.
 
O Primeiro-Ministro, o Ministério da Saúde e o Ministério do Planeamento e Infraestruturas apresentaram na passada sexta-feira, 11 de Janeiro, em Évora, o projecto de financiamento do novo Hospital Central do Alentejo, no âmbito da reprogramação do Portugal 2020.

Projectado pelo arquitecto Souto Moura, o novo equipamento terá um perfil assistencial diversificado, contando com um plateau tecnológico diferenciado, componente de radioterapia, de medicina nuclear e de meios de diagnóstico e terapêutica, polivalência de cuidados de saúde, valência de cuidados paliativos, desenvolvimento das áreas de ambulatório e alargamento a várias especialidades clínicas até então inexistentes na região.

O novo equipamento consubstancia uma iniciativa essencial de investimento no interior do país e integra a lista de Principais Investimentos Públicos do Programa de Estabilidade 2018-2022, representando a criação de valor para toda a área de influência do hospital e de melhoria das condições de atractividade para profissionais de saúde. 

O deputado do PS, eleito por Beja, Pedro do Carmo, sublinhou à Planície que “é uma infraestrutura importante e necessária para a região. Naturalmente terá que ser complementada com um conjunto de investimentos no Hospital Distrital de Beja. Já foi apresentado um projecto de resolução nesse sentido e esse projecto prevê a ampliação e algumas valências.” O parlamentar adiantou ainda que “ Foi entregue à Assembleia da República o Plano Nacional de Investimentos para a nossa região.”

Para o PCP é uma mais-valia para toda a região. O deputado do PCP eleito por Beja, João Dias, em declarações à Planície adiantou que “o Partido Comunista sempre tem afirmado a necessidade de toda a região Alentejo poder dispor de um acesso mais rápido a uma infraestrutura como é um Hospital Central. Toda esta região, que são mais de 30% da área do nosso País, que está em alguns locais a mais de 200 kms de um hospital central como é o de S. José ou Stª Maria. Podermos ter a possibilidade de no Alentejo ter essa infraestrutura, neste caso em Évora, permite reduzir para uma distância de 100 km a acessibilidade a cuidados médicos diferenciados, nomeadamente com especialidades que os hospitais existentes em cada um dos distritos não conseguem ter.” 

O deputado acrescentou ainda que “é um ganho para as populações, um ganho para a saúde. O PCP valoriza e tem contribuído para que o Hospital Central de Évora possa ser uma realidade.”

Por determinação do Governo, a edificação do hospital contará com 40 milhões de euros de fundos europeus FEDER de um investimento previsto de cerca de 150 milhões de euros, aos quais acrescerão custos com equipamentos na ordem dos 31 milhões de euros.
 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
18 18
9 7
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda