A FENPROF apela à greve que não conste no horário de trabalho
Publicado | 2019-01-03 04:31:42
 
A Fenprof divulgou ontem um vídeo de apelo à participação dos professores na greve às actividades que não constam no seu horário de trabalho (reuniões e outras).
 
Neste vídeo de esclarecimento e apelo à greve participam docentes que integram o Secretariado Nacional da FENPROF, bem como o Ministro da Educação que, com duas afirmações bastante claras, confere ainda mais razão à luta em curso, o que é muito importante para o seu desenvolvimento.

Hoje, 3 de Janeiro, inicia-se o segundo período do presente ano lectivo. Com ele é retomada a greve dos professores a toda a actividade que não consta no seu horário e, por essa razão, quando estes são convocados, por exemplo, para reuniões ou outra actividade “extra-horário” poderão entrar em greve.

Segundo o comunicado do sindicato esta greve não pode dar origem a qualquer desconto na remuneração, pois os professores cumprem toda a actividade prevista no seu horário de trabalho. Algumas escolas, contudo, decidiram efectuar esse desconto, estando a ser pedidos às respectivas direcções os fundamentos legais de tal procedimento. A Fenprof adianta ainda que “a greve vai continuar até porque esta também é das matérias em que o Ministério da Educação continua a não honrar a palavra dada. Recorda-se que, confrontada com os abusos e as ilegalidades cometidas, a tutela, ainda em Julho, comprometeu-se a esclarecer as direcções das escolas, através de “FAQ”, sobre como organizar os horários dos docentes, mas nada lhes fez chegar. Comprometeu-se, igualmente, a apresentar, até Novembro, uma lista sobre tarefas burocráticas que não deveriam ser atribuídas aos docentes, mas também não cumpriu.”
 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
27 29
11 12
 
 
 
 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda