Ano agrícola 2018 «Um ano bom com políticas más»
Publicado | 2018-12-31 04:47:21
 
O ano agrícola de 2018 segundo o presidente da Associação dos Agricultores do Baixo Alentejo, Francisco Palma, em declarações à Planície teve o factor climático como condicionante.
 
“O factor climático é o primeiro a condicionar a produtividade e rentabilidade de todo o sector agrícola, independentemente de que cultura e espécie o agricultor cria. O ano começou por muito seco, mas depois veio uma Primavera que foi fabulosa, que já não se via há muito tempo e fez com que os cenários de seca com que estávamos há cerca de 3 anos desaparecesse. Ficámos com um ano hidrológico muito satisfatório.” 

Para a Associação o ano agrícola que se iniciou a 1 de Outubro pautou-se por chuvas regulares, o que já não sucedia há algum tempo, e adiantou que “o ano de 2018, foi satisfatório em quase todas as actividades, podendo haver uma ou outra onde não foi tão bom.” 

Francisco Palma salienta ainda que o Estado tem sido inoperante. “O que já não se pode considerar bom e satisfatório é a inoperância do Estado Português em fazer o processamento das ajudas aos agricultores e sobretudo os projectos de investimento que se têm pautado por uma demora que já não é normal. Tem afectado muito aquilo que seria a espectativa dos agricultores. Assim politicamente foi um ano muito mau, agricolamente e do que depende do clima pode-se dizer que foi muito bom.”
 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
21 23
6 7
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda