Convento do Carmo em Moura integrado no projecto “Revive”
Publicado | 2018-12-18 04:17:04
 
No passado dia 14 de Dezembro a Secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, informou a autarquia de Moura, do lançamento do concurso relativo à integração do Convento do Carmo de Moura no projecto “Revive”. Um concurso público para concessão de exploração como empreendimento turístico.
 
Este instrumento lançado pelo Governo, pretende abrir o património ao investimento privado para desenvolvimento de projectos turísticos, através da realização de concursos públicos de forma a gerar riqueza e postos de trabalho, promover o reforço da atractividade de destinos regionais, a desconcentração da procura e o desenvolvimento de várias regiões do país.

Este processo resultou dos contactos e diligências feitas pelo município de Moura junto da Secretária de Estado do Turismo, ainda no anterior mandato, no ano de 2017, chegando à assinatura do memorando de entendimento.

Entretanto o actual executivo da autarquia de Moura desenvolveu, ao longo dos últimos 12 meses, diversas diligências junto do Turismo de Portugal, I.P. e da DGPC – Direcção Geral do Património Cultural para que a integração deste imóvel no Projecto “Revive” se concretizasse. 

O vereador da Câmara Municipal de Moura, Manuel Bio, em declarações à Planície sublinhou que “foi o culminar de um processo que começou há cerca de um ano e meio, ainda no anterior executivo, em que a anterior câmara abriu dois concursos internacionais para uma unidade hoteleira e não tiveram qualquer interessado. Nós pegamos no projecto, é um edifício que está muito degradado, mas tem um grande simbolismo para a população de Moura, muitos mourenses nasceram naquele local.” 

Manuel Bio acrescentou ainda que “pelo seu simbolismo tem que se conseguir recuperar. O edifício pertence ao Estado português e está cedido à Câmara Municipal que por sua vez irá ceder durante 50 anos com uma renda simbólica. O que pretendemos é que quem investir no convento faça uma excelente unidade hoteleira. Nós temos um pré projecto aprovado com o Turismo de Portugal e rondará entre os 6 e os 8 milhões de euros, criando um hotel com 50 quartos.”

Com o lançamento deste concurso, o processo relativo ao Convento do Carmo fica disponível na página de internet do “Revive”, onde os potenciais investidores poderão consultar toda a informação relativa à transformação deste imóvel.

Recordamos que o Convento do Carmo, cujas origens remontam ao período medieval, é o único imóvel do distrito de Beja e um dos 6 da região Alentejo a integrar este projecto.
 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
29 30
11 16
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda