A enfermeira Daniela Silva, vítima mortal do acidente no helicóptero do INEM, trabalhou em Moura
Publicado | 2018-12-17 05:45:15
 
Desde o passado sábado que a região de Valongo, no distrito do Porto, se tornou no centro das atenções do país. Em causa está a queda de um helicóptero do INEM que provocou a morte a quatro pessoas: o piloto e o co-piloto da aeronave, um médico espanhol e uma enfermeira do INEM.
 

Ao início da tarde deste domingo, a Protecção Civil confirmava a retirada dos quatro corpos da Serra de Pias, em Valongo.

Luis Vega, médico espanhol, Daniela Silva, enfermeira do INEM, João Lima, comandante, e Luís Rosindo, co-piloto, são os rostos da tragédia.

A enfermeira Daniela Silva, uma das vítimas mortais do acidente, tinha cerca de 30 anos e morava na freguesia de Baltar, no concelho de Paredes. Fazia parte dos quadros do INEM.

Daniela Silva, que também era formadora na Escola Nacional de Bombeiros, começou por fazer parte da ambulância de Suporte Imediato de Vida (SIVA) em Moura, tendo depois trabalhado durante cerca de 11 anos no Hospital de Amarante também no SIV. Foi há cerca de cinco anos que a enfermeira começou a trabalhar no INEM do Porto, onde fazia meio aéreo e SIV.

 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
21 23
6 7
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda