Produção de vinho este ano vai ser a mais baixa, Alentejo mantém os valores
Publicado | 2018-11-23 04:40:29
 
Segundo dados divulgados pelo INE-Instituto Nacional de Estatística, as previsões agrícolas apontam para que, em 2018, se registe a mais baixa produção de vinho dos últimos 20 anos.
 
Onda de calor de Agosto e a passagem da tempestade Leslie afectaram de forma expressiva a produção de vinho. INE estima que seja a mais baixa em duas décadas. 

O calor que se abateu sobre Portugal em Agosto afectou a vinha. A extensão dos prejuízos causados pelas elevadas temperaturas foi variável, mas estendeu-se por quase todas as regiões vitivinícolas, prevendo-se uma das menores produções de vinho das últimas duas décadas (5,2 milhões de hectolitros)”, diz o INE. Em 2017, produziram-se 6,5 milhões de hectolitros de vinho.

Diz o INE que “Os calor excessivo de Agosto causou escaldões nos bagos, mas foram as primeiras chuvas, a partir de meados de Outubro, que prejudicaram a produção vinícola e precipitaram o fim das vindimas.”

Há seis anos que não se produzia tão pouco vinho em Portugal com excepção do Algarve (aumento superior a 5%) e no Alentejo (produção semelhante a 2017), as outras regiões vitivinícolas deverão registar menos produção, prevendo-se uma redução global de 20%, a menor das últimas duas décadas.
 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
14 16
6 6
 
 
 
 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda