130 milhões de euros para projectos turísticos
Publicado | 2018-11-16 04:33:20
 
A linha de crédito Capitalizar Turismo, no valor de 130 milhões de euros, vai «financiar a criação e requalificação de projetos turísticos», anunciou o Primeiro-Ministro António Costa, na abertura do 30.º Congresso da Associação da Hotelaria de Portugal, em Lisboa.
 
A nova linha, que também servirá para a capitalização das empresas turísticas, terá «maturidades prolongadas e períodos de carência de quatro anos», havendo também uma nova linha no âmbito da sustentabilidade ambiental de que as empresas turísticas poderão beneficiar.

Capitalizar Turismo é um subprograma do Capitalizar, que se «destina a reforçar a autonomia financeira das empresas e a permitir investir com mais capitais próprios e menos a crédito», disse o Primeiro-Ministro, referindo que o Capitalizar tem uma dotação de 2,9 mil milhões de euros, dos quais «174 milhões euros foram destinados exclusivamente para o sector turístico».

António Costa disse ainda, que a linha de sustentabilidade ambiental permitirá o financiamento, a fundo perdido, de «40 mil euros por projecto, destinados exclusivamente a pequenas e médias empresas, para melhoria da gestão da sua eficiência energética, uso inteligente da água e da melhoria da gestão dos próprios resíduos».

A linha Capitalizar Turismo 2018/19 é uma parceria entre o Turismo de Portugal, a Sociedade Portuguesa de Garantia Mútua e o sistema financeiro para apoiar investimentos na criação ou na requalificação de empreendimentos e estabelecimentos com interesse turístico em todo o território nacional.

Para além da componente de apoio associada ao investimento físico, a linha pode financiar serviços de dívida existentes de curto e médio prazo, cujo serviço seja considerado demasiado elevado.
O apoio máximo por projecto pode ir até 4,5 milhões de euros, possuindo condições financeiras adaptadas ao turismo, nomeadamente com prazos de reembolso até 15 anos e períodos de carência de reembolso máximos de 4 anos. 

A parcela do financiamento a conceder pelo Turismo de Portugal não tem juros, podendo 20% ser convertido em incentivo não reembolsável, até ao limite máximo de 40 000 euros, desde que o investimento se execute integralmente até final de 2019.
 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
21 21
13 10
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda