PCP questionou Governo sobre o SUB de Moura
Publicado | 2015-05-18 04:34:27
 
O deputado do PCP, eleito por Beja, João Ramos, questionou o Ministério da Saúde sobre o facto da Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo, ter anunciado a instalação do Serviço de Urgência Básica em Moura, quando a única alteração que o deputado verifica é a afectação de mais um médico em permanência.
 
Um despacho proferido pelo Gabinete do Secretário de Estado Adjunto do Ministério da Saúde, determina que um SUB deve dispor de dois médicos, dois enfermeiros, técnico de diagnóstico e terapêutica de áreas profissionais adequadas, um assistente operacional, com funções de auxiliar de acção médica e um assistente técnico.
Segundo João Ramos, o SUB de Moura na constituição das suas equipas, cumpre a legislação, apenas na exigência de dois médicos e um assistente operacional. O número de enfermeiros por equipa é de apenas um, as funções administrativas são desempenhadas por um assistente operacional e não por um assistente técnico e o RX, que deveria funcionar 24 horas, funciona de segunda a sexta em horário alargado mas não permanente e entre as 9 às 14 horas ao fim de semana.
Perante esta situação do deputado comunista quer saber se o Ministério da Saúde tem conhecimento desta situação e quando será instalado na sua plenitude o serviço de Urgência Básica de Moura.
 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
27 24
14 15
 
 

Nome:

Email:

 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda