PS devolve 2% do IRS aos contribuintes, contra a vontade da CDU
Publicado | 2018-10-11 04:30:32
 
A Assembleia Municipal de Moura reuniu-se no passado dia 3 de Outubro, em Safara.
 
Na ordem de trabalhos constava a discussão das propostas de taxas a aplicar em 2019, que entretanto já haviam sido votadas e aprovadas em reunião de Câmara. 

Rui Apolinário, da concelhia de Moura do PS, sublinhou à Planície que “a CDU como sempre votou contra, o que já é hábito. Os municípios têm direito a 5% do IRS cobrado aos contribuintes residentes no Concelho de Moura. Por proposta do actual executivo da Câmara Municipal de Moura apenas revertem para os cofres do município 3%, sendo que os restantes 2% são descontados ao IRS pago pelos contribuintes do Concelho de Moura”, acrescentou.

Segundo o PS, “quem paga IRS vê assim, através de dedução à colecta, reduzido o valor do IRS a pagar. A CDU votou contra.  Em relação à derrama, Rui Apolinário explicou que “os eleitos da CDU, enquanto governaram os destinos do Concelho de Moura, nunca se lembraram de propor qualquer alívio fiscal às empresas. O PS foi sempre coerente  com as suas propostas, propôs a criação de um escalão de isenção (o tal que já tinha sido aprovado pela Assembleia Municipal mas que o executivo CDU não comunicou à Autoridade Tributária desrespeitando aquele órgão) para empresas que se fixem no Concelho de Moura e que criem postos de trabalho. Desta forma, as empresas nestas condições não pagam Derrama.

E adianta que as últimas posições políticas dos eleitos da CDU no Concelho de Moura, tem a ver com a proximidade das eleições, que vão ter lugar no próximo ano, sendo uma forma de afirmação. 
 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
24 25
14 14
 
 
 
 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda