Serpa lança hoje “Atas do VIII Encontro de Arqueologia do Sudoeste Peninsular”
Publicado | 2018-09-28 04:29:39
 
A Câmara Municipal de Serpa vai proceder ao lançamento das “Atas do VIII Encontro de Arqueologia do Sudoeste Peninsular”, hoje, dia 28, na sala polivalente do Museu Municipal de Arqueologia – Castelo de Serpa.
 
Trata-se de uma edição da Câmara Municipal de Serpa, em formato CD-ROM, que contou com a coordenação editorial da Direcção Regional de Cultura do Alentejo, e que reúne os contributos apresentados no encontro científico, realizado em Serpa e Arroche (Espanha), em 2014. 

Este encontro contou com a presença de mais de 150 participantes inscritos e foram apresentadas cerca de 80 comunicações e posters que reflectiam a realidade da investigação arqueológica realizada no Sudoeste Peninsular, nos dois lados da fronteira.

Recordamos que os “Encontros de Arqueologia do Sudoeste Peninsular” realizam-se desde 1994, sendo que já se realizaram nove edições, em diversas localidades do Alentejo, Algarve, Extremadura e Andaluzia, estando agendado o X Encontro para Zafra (Espanha) em 9, 10 e 11 de Novembro deste ano. 

Estes encontros procuram juntar especialistas na área do património arqueológico que centrem as suas investigações na vasta região do Sudoeste Peninsular, para se constituírem como um espaço para apresentação e debate de ideias e para a potenciação do desenvolvimento de projetos comuns. 

Trata-se de uma iniciativa integrada no programa comemorativo que o município desenvolveu no âmbito do Ano Europeu do Património Cultural, que se celebra em 2018, e das Jornadas Europeias do Património, que este ano se centram no tema “Partilhar memórias”.
Ainda integrado nas Jornadas Europeias do Património, a Câmara Municipal de Serpa promove a tertúlia “O Centro de Cultura Popular na História da Arqueologia de Serpa”, amanhã, dia 29 de Setembro, pelas 15.00 horas, na sala polivalente do Museu Municipal de Arqueologia – Castelo de Serpa. 

Pretende-se destacar o papel desempenhado pelo Centro de Cultura Popular de Serpa no âmbito do desenvolvimento da investigação arqueológica no concelho, sobretudo nas décadas de 70 e 80 do século passado, através do dinamismo do seu departamento de arqueologia, como forma de relevar a importância do movimento associativo popular face à vontade de proteger e valorizar o património histórico e arqueológico após a Revolução de 25 de Abril de 1974.
 



Leia esta notícia na integra na edição impressa do Jornal «A Planície»
Untitled Document Untitled Document Untitled Document
17 15
5 7
 
 
 
 
 
 
 
 
Untitled Document
 
    © 2015 - Sociedade Editorial Bética, Lda